Autor: Miguel Gimenes

Relato espiritual em um buffet

Estava em um Buffet em Osasco semana passada, quando de repente comecei a ter lampejos de clarividência aliados a sensações estranhas por todo meu corpo, eram alguns arrepios que passavam pelo meu duplo etérico, dando descargas energéticas em todo meu corpo.

Foi aí que comecei a me desligar de tudo o que estava ocorrendo ao meu redor, parei de prestar atenção nas crianças que corriam pra lá e para cá, comecei a meditar, para tentar descobrir se estava havendo algum tipo de assédio extrafísico no salão desse buffet infantil em osasco.

Notei que havia algumas entidades extrafísicas sofredoras andando pelo salão e emanando dardos plasmados para acertar os chacras dos convidados, aquilo não se tratava apenas de uma obsessão, ia muito mais além que isso, alguns dos convidados da festa, eram antigos algozes desses espiritos que estavam em estado de furia do lado de lá (plano espiritual).

Notei também que aquela criança que completava apenas 5 anos de idade, filha da minha amiga, tinha acabado de encarnar nesse planeta para “queimar” uma parcela de seu carma junto a esses espíritos, como também as pessoas que estavam prestigiando o seu aniversário, mas eles mal sabiam disso.

Por isso, sempre digo sobre a importância de estarmos atentos, vigiando sempre nossos pensamentos e sentimentos, para que quando começarmos a perceber algo extrafísico como o desse relato, sabermos o que devemos fazer em situações assim.

Há algumas habilidades como o discernimento espiritual e o estar presente no agora, que somente podem ser desenvolvidas juntas, e elas são fundamentais para a nossa evolução.

Portanto, esse foi um breve relato que aconteceu comigo, e queria passar para vocês, deixando assim o alerta para estarmos atentos no momento presente.

 

Mediunidade – Falando sobre essa oportunidade divina

Histórico da mediunidade

A palavra mediunidade é muito recente, no entanto, esse contato com o mundo espiritual sempre esteve presente em toda história da humanidade e podemos encontrar  diversos registros de fenômenos mediúnicos em diversas tradições e escritos de vários povos e culturas, como China, Egito, Pérsia, Índia, Grécia, hebreus, etc.

Na história do nosso planeta, em todas as épocas houve médiuns e os fenômenos mediúnicos, mas tudo isso só passou a ser estudado sistematicamente, analisados e suficientemente compreendidos com o Espiritismo por Allan Kardec, em meados do final do século XIX. A mediunidade sempre esteve muito presente entre os homens, principalmente nos meios religiosos, embora chamassem os fenômenos por outros nomes e objetivos.

Em tribos humanas primitivas, essas manifestações mágicas quase sempre denotavam a presença dos espíritos.

Em diversas atividades religiosas das civilizações antigas, essa comunicação com “deuses” e “forças espirituais” era muito comum, ainda que não se falasse em médiuns e mediunidade.

Nessa época, a faculdade de dar passividade aos espíritos ou forças correspondentes era exclusividade dos sacerdotes, feiticeiros, pajés, magos, santos, profetas, etc., claro que isso não dependia, que a mediunidade estivesse sempre presente, ainda que potencialmente, em todas as pessoas de todas as épocas.

Mediunismo x Mediunidade

Diversos autores citam uma diferença entre as palavras mediunismo e mediunidade.

Embora esses dois termos sirvam para se referir a capacidade que os os médiuns possuem de entrar em contato com os espiritos, para alguns, o mediunismo seria a sensibilidade que todo ser encarnado tem à ação e influência espiritual, enquanto que a mediunidade seria uma faculdade que apenas algumas pessoas mais sensíveis têm de produzir os diversos fenômenos mediúnicos, comunicando-se e trocando informações com os espíritos de outro plano (plano espiritual), de clara e compreensível.

No entanto, não vejo nenhum problema em usar as duas palavras como sinônimos

Mentores Espirituais

Os mentores Espirituais são seres da luz que estão dispostos a nos ajudar durante uma ou algumas encarnações, no sentido de nos auxiliar, orientar,guiar e proteger, sempre a favor da nossa evolução espiritual. Claro que os guias espirituais são espíritos humanos que já passaram por diversas encarnações, buscando conhecimentos, utilizando essa fonte de conhecimento sempre para o bem e assim adquirindo sabedoria e merecimento junto o Pai e as leis universais.  Não importa como os amparadores se apresentem, seja como médico, caboclo, preto velho, exu, entre outros.

Todos eles trabalham incansávelmente em pro de todos os nossos irmãos que necessitam e eles se manifestam em diversos lugares e frentes de trabalho, moldando seus corpos espirituais com a aparência que bem quiserem, pois o corpo espiritual é dotado de alta platicidade, ou seja, ele é moldado como o espirito quiser.Eles possuem o seu modo de falar que se torna característico á aquele espirito, seu gestual e outros elementos. Assim ocorre com os médiuns trabalhadores nos milhares de centros e terreiros em todo o mundo. Vemos diversos médiuns jovens, incorporarem um Preto Velho e se tornarem, durante os trabalhos, idosos, muitas vezes com uma postura de alguém com mais idade, com uma postura muitas vezes curvada.

Os mentores nos sugerem boas atitudes, boas fluidificações, bons pensamentos, pois eles estão sempre nos ajudando a seguir na luz, e sempre continuar na prática do Bem. Eles ouvem nossas queixas e nos estimulam a buscar melhores soluções, sem deixar de nos consolar e esperança para os nossos momentos de aflição. Quando se faz necessário,  eles falam com alguma severidade e sempre nos alertam para a necessidade de revermos e corrigirmos pensamentos e atitudes negativas que nos afastam do caminho da Luz.

Todos os nossos mentores não podem mudar o nosso livre arbítrio, portanto eles só podem dar uma “mãozinha”, não podem viver para nós; vai depender do esforço de cada um de nós a busca e o desenvolvimento da nossa consciência, nossa, sabedoria. Todos nós devemos manter um amor e repeito por aqueles que nos guiam nessa jornada, pois essa tarefa de nos auxiliar, porém a tarefa deles não é nos carregar no colo como bebes e nem fazer milagres para que resolvam os nossos problemas.

Para ajudar mais o estudo da mediunidade e diversos outros assuntos relacionados, sugiro que sigam um blog que eu mesmo acompanho, é o blog do Matheus Prado, é um brasileiro espiritualista que vem provocando esse despertar consciencial em muitas pessoas.

Os 7 chacras principais

Em nosso corpo espiritual, temos diversos chacras, alguns são menores e outros são maiores que os outros, dando mais evidência, é aí que entra os sete chacras, elesão os maiores e mais visíveis, vamos então relatar um por um :

Chacra fundamental ou básico – Ele está localizado na base da coluna, entre as pernas, está devidamente ligado às glândulas suprarrenais que se relaciona aos nossos instintos. Esse chacra controla também as funções vegetativas do corpo humano e é responsável pela captação da energia kundalini, a energia da Terra. Sua principal cor é o vermelho.

 

Chacra genésico ou sexual – Esse se localixado no baixo ventre, está ligado às gônadas, sendo o responsável pelo aparelho geniturinário, pelas funções reprodutivas e sexuais, estando também ligado ao chacra básico, especialmente na gravidez, na geração de um novo corpo reencarnante.

Sua é o laranja e os clarividentes o descrevem com seis pétalas. Pode ser considerado o chacra da alegria fisica.

Chacra gástrico ou umbilical – Ele está localizado na região do umbigo, se liga ao pâncreas e é responsável por funções do sistema digestório.

Sua principal cor é o amarelo e os clarividentes lhe atribuem dez pétalas. Pode ser considerado o chacra das emoções e, é por isso, que entidades desequilibradas os adoram.

 


Chacra cardíaco( Lótus do Coração) – Está localizado bem no centro do peito, e está ligado à glândula timo, sendo então responsável pelo sistema cardiorrespiratório. Possui doze pétalas e sua cor principal é o verde. Esse é sem duvidas, o chacra dos bons sentimentos.

 

 

Chacra laríngeo (Chacra da garganta) – Está localizado sobre a região da garganta, é ligado às glândulas tireoides e paratireoides,sendo então responsável pelo, pela boca, pelo metabolismo, os dentes, a garganta e outros.
Sua cor é o azul e apresenta 16 pétalas. É relacionado à comunicação sadia e à expressão e tem grande atuação na mediunidade de psicofonia, como também na clariaudiência.

 

Chacra frontal –  Está localizado no centro da testa, entre as sobrancelhas, é ligado à glândula hipófise ou pituitária, e também é responsável pelos olhos e nariz, além de comandar todos os outros chacras. Sua principal cor é o azul índigo e possui 96 pétalas. Está relacionado às atividades mentais, como memória, intelecto, entro outros.Atua diretamente na clarividência e na intuição.

 

Chacra da coroa ou coronário – localizado no topo da cabeça, é  ligado à glândula pineal e controla toda irrigação energética do cérebro, como também de todo o sistema nervoso. Sua cor é o violeta
e apresenta mais de 900 pétalas, por isso é chamado de lótus das mil pétalas. É o chacra de ligação com o mundo Alto e com o cosmos, capta as energias sutis necessárias para o bom funcionamento de todo o organismo. Atua diretamente na telepatia
e em todas as mediunidades.

A história da umbanda

A umbanda foi fundada no dia 15 de novembro de 1908 na Federação Espírita da cidade Rio de Janeiro, no bairro Niteroi. Naquela ocasião, Zélio Fernandino de Moraes, foi orientado por um amigo, que foi levado à Federação devido a uma aparente cura que havia recebido, pois de forma inexplicável pela medicina, curou uma estranha paralisia. Chegando lá,  ele foi convidado por dirigentes a participar da sessão.

Iniciada a sessão, Zélio,  levantou-se dizendo: “Aqui está faltando uma flor!” e, contrariando todas as regras que não permitem a saida dos integrantes da mesa durante a sessão, ele foi ao jardim e voltou com uma rosa branca, que colocou sobre a mesa. Aquela atitude provocou um grande burburinho entre os membros que ali estavam. Com a “corrente” mediúnica recomposta, houve uma manifestação de vários espíritos  indígenas e de escravos africanos nos médiuns presentes, quando o dirigente do trabalho advertiu tais espíritos os convidando a se retirar devido ao seu suposto atraso espiritual. Na tentativa de mandar embora o espírito desconhecido incorporado em Zélio, um dos responsáveis pela mesa questionou:

“Afinal, meus irmãos que falam nesses termos, pretendendo que esta mesa compreenda a sua manifestação que, pelo grau de cultura que tiveram quando encarnados, são atrasados? E afinal,  qual é o seu nome?”

A resposta veio através de Zélio que foi a seguinte:

“ julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo lhe dizer que amanhã mesmo estarei na residência desse cavalo (Zélio), para começar um culto em que estes meus pretos e índios poderão passar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará a todos , sejam eles humildes,  sempre pensando na igualdade que deve existir entre todos..  E se querem saber qual o meu nome, eu sou o Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim e para meus pretos.”

No dia seguinte, na casa de Zélio, ele recebeu diversos membros da Federação Espírita, parentes, amigos e desconhecidos, e às 20h o espirito do dia anterior Caboclo das Sete Encruzilhadas se manifestou através Zélio e declarou que, a partir daquela data, uma nova religião se iniciava, onde os espíritos de índios e de negros escravos iriam definitivamente trabalhar ajudando seus irmãos encarnados, independentemente de qualquer coisa, e que seu nome seria umbanda. O grupo foi fundado naquela noite por esse caboblo Caboclo das Sete Encruzilhadas.

Hoje, ela passou por algumas mudanças, varia muito de templo para templo, mas essa querida umbanda, ainda serve de trabalho para muitos filhos que querem exercer a mediunidade.