Histórico da mediunidade

A palavra mediunidade é muito recente, no entanto, esse contato com o mundo espiritual sempre esteve presente em toda história da humanidade e podemos encontrar  diversos registros de fenômenos mediúnicos em diversas tradições e escritos de vários povos e culturas, como China, Egito, Pérsia, Índia, Grécia, hebreus, etc.

Na história do nosso planeta, em todas as épocas houve médiuns e os fenômenos mediúnicos, mas tudo isso só passou a ser estudado sistematicamente, analisados e suficientemente compreendidos com o Espiritismo por Allan Kardec, em meados do final do século XIX. A mediunidade sempre esteve muito presente entre os homens, principalmente nos meios religiosos, embora chamassem os fenômenos por outros nomes e objetivos.

Em tribos humanas primitivas, essas manifestações mágicas quase sempre denotavam a presença dos espíritos.

Em diversas atividades religiosas das civilizações antigas, essa comunicação com “deuses” e “forças espirituais” era muito comum, ainda que não se falasse em médiuns e mediunidade.

Nessa época, a faculdade de dar passividade aos espíritos ou forças correspondentes era exclusividade dos sacerdotes, feiticeiros, pajés, magos, santos, profetas, etc., claro que isso não dependia, que a mediunidade estivesse sempre presente, ainda que potencialmente, em todas as pessoas de todas as épocas.

Mediunismo x Mediunidade

Diversos autores citam uma diferença entre as palavras mediunismo e mediunidade.

Embora esses dois termos sirvam para se referir a capacidade que os os médiuns possuem de entrar em contato com os espiritos, para alguns, o mediunismo seria a sensibilidade que todo ser encarnado tem à ação e influência espiritual, enquanto que a mediunidade seria uma faculdade que apenas algumas pessoas mais sensíveis têm de produzir os diversos fenômenos mediúnicos, comunicando-se e trocando informações com os espíritos de outro plano (plano espiritual), de clara e compreensível.

No entanto, não vejo nenhum problema em usar as duas palavras como sinônimos

Mentores Espirituais

Os mentores Espirituais são seres da luz que estão dispostos a nos ajudar durante uma ou algumas encarnações, no sentido de nos auxiliar, orientar,guiar e proteger, sempre a favor da nossa evolução espiritual. Claro que os guias espirituais são espíritos humanos que já passaram por diversas encarnações, buscando conhecimentos, utilizando essa fonte de conhecimento sempre para o bem e assim adquirindo sabedoria e merecimento junto o Pai e as leis universais.  Não importa como os amparadores se apresentem, seja como médico, caboclo, preto velho, exu, entre outros.

Todos eles trabalham incansávelmente em pro de todos os nossos irmãos que necessitam e eles se manifestam em diversos lugares e frentes de trabalho, moldando seus corpos espirituais com a aparência que bem quiserem, pois o corpo espiritual é dotado de alta platicidade, ou seja, ele é moldado como o espirito quiser.Eles possuem o seu modo de falar que se torna característico á aquele espirito, seu gestual e outros elementos. Assim ocorre com os médiuns trabalhadores nos milhares de centros e terreiros em todo o mundo. Vemos diversos médiuns jovens, incorporarem um Preto Velho e se tornarem, durante os trabalhos, idosos, muitas vezes com uma postura de alguém com mais idade, com uma postura muitas vezes curvada.

Os mentores nos sugerem boas atitudes, boas fluidificações, bons pensamentos, pois eles estão sempre nos ajudando a seguir na luz, e sempre continuar na prática do Bem. Eles ouvem nossas queixas e nos estimulam a buscar melhores soluções, sem deixar de nos consolar e esperança para os nossos momentos de aflição. Quando se faz necessário,  eles falam com alguma severidade e sempre nos alertam para a necessidade de revermos e corrigirmos pensamentos e atitudes negativas que nos afastam do caminho da Luz.

Todos os nossos mentores não podem mudar o nosso livre arbítrio, portanto eles só podem dar uma “mãozinha”, não podem viver para nós; vai depender do esforço de cada um de nós a busca e o desenvolvimento da nossa consciência, nossa, sabedoria. Todos nós devemos manter um amor e repeito por aqueles que nos guiam nessa jornada, pois essa tarefa de nos auxiliar, porém a tarefa deles não é nos carregar no colo como bebes e nem fazer milagres para que resolvam os nossos problemas.

Para ajudar mais o estudo da mediunidade e diversos outros assuntos relacionados, sugiro que sigam um blog que eu mesmo acompanho, é o blog do Matheus Prado, é um brasileiro espiritualista que vem provocando esse despertar consciencial em muitas pessoas.